• Orientações aos Pais sobre a 1º dentição e a definitiva

    Orientações aos Pais sobre a 1º dentição e a definitiva

    Cada etapa da infância tem suas características próprias, com desafios e descobertas específicos. Assim é com o desenvolvimento dos dentes: desde o nascimento até o final da infância, a boca dos pequenos passa por transformações que trazem alegrias e exigem cuidados diferentes.

    Cuidar da higiene bucal desde o nascimento garante dentes de leite saudáveis, que vão abrir caminho para dentes permanentes fortes para durar a vida toda.

    Além disso, os hábitos de escovação aprendidos durante a infância são mais facilmente mantidos durante o decorrer dos anos.

    De 2 a 5 meses

    No início da vida, os bebês não têm dentes aparentes. Mas mesmo banguelinhas, os pequenos precisam de uma boa higiene oral. Como o recém-nascido ainda está passando por muitas adaptações ao mundo, os cuidados podem começar no segundo mês.

    Os pais devem limpar a língua, as bochechas (por dentro) e o rebordo, nome do local onde vão nascer os dentes, recomenda Marcia Tubel, professora de odontopediatria na Universidade Metropolitana de Santos (Unimes).

    A higiene pode ser feita com uma fralda de pano limpa enrolada no dedo. “O leite, materno ou de fórmula, possui açúcares e gorduras que ficam grudados sobretudo na língua, que é uma superfície rugosa. Os resíduos aderidos abrem porta para a proliferação de bactérias”, explica.

    Segundo ela, a primeira visita ao dentista deve acontecer ainda nesta fase, para que os pais recebam orientações de como cuidar da boca dos filhos.

    De 6 a 11 meses

    Esta é a etapa que marca a erupção dos primeiros dentes, embora alguns bebês comecem a ganhar os dentinhos um pouco antes, e em outros eles apareçam só um pouco depois.

    Com a chegada do primeiro dente, o bebê deve ganhar sua primeira escova. “Tem que ser bem macia, ter a cabeça pequena e um cabo longo de borracha para ajudar o responsável”, afirma a odontopediatra. É preciso sempre checar a idade recomendada na embalagem.

    Conforme forem nascendo os próximos dentes e dois deles passarem a fazer contato entre si, os pais devem começar a passar o fio dental. Ele retira restos de alimentos que podem ficar retidos entre os dentes.

    De 1 a 5 anos

    Os dentes de leite vão surgindo um a um, até somarem 20 deles — os molares são os últimos a nascer. Nesta fase, as crianças passam a comer de tudo e devem participar da escovação, de duas a três vezes por dia.

    Mas os adultos se mantêm como os responsáveis, mesmo que a criança queira escovar sozinha. “Dá para inventar brincadeiras, fazer a criança escovar o dente da mãe para depois a mãe escovar os da criança”, explica a odontopediatra.

    O creme dental deve conter flúor, mas não precisa ser usada em grande quantidade: o tamanho de um grão de ervilha é suficiente. O adulto também deve ensinar a criança a cuspir o excesso. Embora os dentes de leite sejam provisórios, é muito importante que eles sejam saudáveis porque abrem caminho para o nascimento dos permanentes, explica Marcia. “A boa saúde dos dentes de leite influencia na correta formação dos permanentes.”

    De 6 a 9 anos

    Por volta dos 6 anos os dentes de leite começam a ser trocados pelos permanentes. É uma época cheia de dentes moles e sorrisos com janelinhas. Pais com filhos nesta faixa etária devem observar se os dentes permanentes não estão nascendo por trás do dente de leite.

    As crianças aos poucos devem assumir mais responsabilidade pela escovação, podendo fazer o processo sozinhas a partir dos 7 anos, mas ainda sob orientação de um adulto. Pode ser necessária uma consulta com um ortodontista. A indicação deve partir do odontopediatra, em caso de alguma anomalia.

    “Hoje há muita ortodontia preventiva, procedimentos que vão evitar uma futura má oclusão”, afirma Marcia.

    De 10 a 12 anos

    O processo de troca de dentes se encerra nesta fase. Até os 12 anos a criança costuma perder todos os 20 de leite e ganhar 28 dentes definitivos — com a boca maior, há espaço para oito dentes extra. Os últimos quatro, os chamados dentes do siso, vão aparecer só mais tarde, por volta dos 18 anos.

    Dentes trocados, cuidados redobrados, alerta a odontopediatra.”Os pais têm que deixar bem claro para a criança que aqueles dentes são para a vida toda, criar nela uma responsabilidade para que aumente os cuidados”, afirma. Mesmo que a criança seja bastante responsável, Marcia aconselha que o adulto supervisione ao menos a última escovação do dia, antes de dormir.

    Outra atitude importante para garantir a saúde é manter visitas periódicas ao dentista, duas vezes ao ano, mesmo que não haja nenhum problema aparente.

    Leave a reply →

Deixe seu comentário

Cancel reply
× CHAT ONLINE